quarta-feira, 15 de julho de 2015

II Milha Urbana da Abrunheira

Depois do muito cansaço acumulado nas últimas duas semanas com claro decréscimo no rendimento evidenciado nas provas em que participei, a semana que passou foi literamente de recuperação dos indíces físicos para o que falta da época.

E nada melhor que ver o efeito dessa semana de recuperação numa prova rápido como é o caso da milha, apesar de estar longe de ser a minha preferida.

Depois de um aquecimento da companhia do meu púpilo Jota Jota fomos fazer o reconhecimento do percurso. Apesar de não ter subidas muito acentuadas a primeira metade era feita ligeiramente a subir e no domingo estava a soprar um vento muito forte de frente até ao retorno para a meta.

A estratégia passaria por ir o mais abrigado possível até à viragem e depois era ver o que havia para dar.

Depois de estarmos na meta era altura de dar corda ao pedal. Tiro de partida dado e início muito forte da prova logo de início. Os primeiros 200 metros foram quase em sprint até o grupo da frente estabilizar para velocidades mais decentes para este tipo de prova.

Aproveitando o comboio fui-me ganhando algumas posições até à altura do retorno à meta onde deixava de se sentir o vento. Depois de ter sido lançado durante 1 km pelo Jota forcei um pouco mais o andamento para o que restava da prova e estava em discussão para fazer top 4 na prova.
Início da prova (Foto de Montes Saloios)
Nos últimos 200 metros já não sabia se me doia mais as pernas, se os braços ou os pulmões, mas foi cerrar os dentes e continuar a sofrer.

Nos últimos 50 metros acabaram por se definir as posições finais onde a minha falta de ponta final fez a diferença.

Terminei a prova em 7º lugar com um tempo de 4:55, sendo que nesta prova o nível subiu mais que o habitual.

Estou satisfeito por ver que depois de 2 semanas más em termos de prova o corpo finalmente respondeu melhor :)

E agora estão aí a chegar as férias...
Parecia que andei nas drogas (Foto de Armindo Santos)
Até ao próximo post, bons treinos e melhores corridas!

quarta-feira, 8 de julho de 2015

Da Estrada à Pista + V Trilho dos Dinossauros

Depois de uma semana ainda a ressacar da má prova na corrida das Fogueiras era mais um fim de semana com duas provas.

Tendo em conta o cansaço apresentado não era de todo aconselhável fazer ambas as provas, mas o bichinho foi mais forte e depois as pernas e o corpo é que pagam.

No sábado havia a prova da Estrada à Pista na Pista Moniz Pereira com uma distância de 5 km. Apesar da prova ser apenas às 19 horas ainda estava bastante a que juntava o muito vento que se sente sempre naquela zona.

Aquecimento feito e pronto para a partida com o objectivo de fazer recorde pessoal à distância. Primeiras voltas feitas dentro do ritmo pretendido e solto de pernas. Como estava com um atleta ao pé de mim íamos passando a frente um do outro a cada volta. Um pouco antes dos 3 km junta-se outra atleta e nós e pouco depois na recta onde tínhamos vento de frente cedi um pouco de espaço e acabou-se aí a corrida. Daí para a frente foi penoso especialmente na zona do vento contra.

Apesar de ir ultrapassando outros atletas numa mais consegui recolar aos outros 2 atletas e fui-me afastado do tempo pretendido.

No final um tempo de 18:27, assim para o fraco, que me deu um 4º lugar na prova, perdendo o 3º lugar para um dos 2 atletas que me acompanharam durante a pova.

Chegada à meta (Foto de Xistarca)
No dia seguinte foi dia de ir fazer o V Trilho dos Dinossauros, que é a prova onde fiz o meu primeiro de pódio de sempre. No entanto, esta é uma das corridas mais duras dado o muito acentuado sobe e desce ao longo de toda a prova e o muito vento que se faz sentir em grande parte da mesma.

Depois do aquecimento feito para tentar soltar um poucos as pernas lá fui para a partida que estava colocada de modo a termos de começar logo a trepar assim que arrancássemos.

Dado o tiro de partida logo deu para ver não ia ser dia para grandes aventuras que o corpo não ia deixar. Até aos 4 km foi a sofrer muito quer pelo cansaço, quer pelas subidas, quer pelo muito vento contra. Na viragem até à meta já foi mais aceitável apesar do ritmo imposto ser de treino rápido pela dureza da prova.
No início da prova (Foto de Luís Clara Duarte)
Na última subida da prova foi o tempo todo a convencer-me que não podia ir a andar, apesar de ter negociado comigo várias vezes um compromisso do tipo "andar 30 segundos e correr outros 30", mas acabou por ser sempre a trepar por ali acima e não tardava muito estava descer para a meta.
A caminho da meta (Foto de Luís Clara Duarte)
No final os 8 km de prova foram realizados em 33:09 dando para ser 7º classificado.

E agora esta semana vai ser basicamente de recuperação para ter ainda parte física decente para o que falta da temporada. Já tenho idade para ter juízo e não em andar a meter a fazer estas maluqueiras!

Até à próxima, bons treinos e  melhores corridas! :)

domingo, 5 de julho de 2015

Corrida das Fogueiras

Novamente com atraso aqui vai um breve resumo do que se passou no passado Sábado em Peniche.

Aproveitando o facto da corrida ser à noite foi dia de fazer passeio em família ao longo da linha costeira com tempo para apreciar as paisagem com que nos deparávamos.

Algures à beira-mar 
Depois de chegarmos a Peniche fomos comprar alguma comida para assar após a prova e com calma fomos buscar os dorsais e começar a preparar. Já na companhia do meu pupilo Jota Jota fomos para a partida de modo a fazermos um aquecimento antes da prova.

O velho e os putos!

Miminhos antes de começar

Depois de estarmos no local da partida do ano passado começámos a estranhar não estar lá quase ninguém quando falta meia hora para o início da prova. Assim que iniciámos o aquecimento logo vimos a multidão de gente que ia participar e lá fomos para o bloco de partida que nos foi atribuído (sub 4:00) o que tem a boa ideia de exigir comprovativos de marcas para não haver tempos inventados na altura da inscrição.

Dada a partida siga atrás do comboio a ritmo decente até à primeira viragem de percurso onde estava muito vento contra. Aproveitando a boleia de alguns atletas para ir ganhando posições fiz a passagem aos 5 km em cerca de 18:30 confortável, o que apesar se não ser muito rápido não era muito mau tendo em conta o muito vento naquele segmento.

Cerca de 1-2 km à frente começou o terror que mencionei aqui anteriormente. Quebra de energia muito acentuada e sem qualquer capacidade para sequer seguir no ritmo da malta que ia passando por mim. Tudo isso foi ainda pior por ter na ideia que a prova era quase sempre plana o que depois me vim a aperceber que não era bem o caso. Ai esta memória!

Até aos cerca de 11 km andei ali a ver se conseguia encontrar um ritmo que desse para minimizar ao máximo o que estava a acontecer. Depois de ter metido ritmo de treino rápido consegui ir recuperando algumas posições até ao final mas foi muito sofrível até ao fim da prova.

No final tempo de 58:06 acabando nos 100 primeiros classificados e com a certeza que entre a altura que quebrei o o fim houve mais de 50 atletas que me passaram.

Razões para esta quebra podem estar relacionado com algo que comi antes da prova uma vez que após a mesma passei mal do estômago. Além disso o treino específico de séries em que nos temos focado agora tem sido para provas muito mais curtas do que esta o que também não ajuda muito.

Ainda assim, continuo a gostar imenso desta prova especialmente pelo incrível apoio das gentes de Peniche que se fartam de puxar pelo atletas ao longo de todo o percurso. Na minha opinião só igualdades pelos amadorenses que vão apoiar na São Silvestre da Amadora.

Para o ano lá terei de voltar a esta prova para me vingar :)

Até ao próximo post, bons treinos e melhores corridas!