sábado, 22 de novembro de 2014

Quando o frio aperta!

Não contava fazer o post sobre treinar ao frio tão cedo, mas tendo em conta as condições climatéricas desta semana, acho que estava mesmo a pedir.

Apesar de nas semanas anterior já se terem sentido temperaturas negativas esta semana foi demais.

Terça-feira era dia de bidiário e às 6 da manhã já estava à porta de casa pronto para ir começar. Mas antes de isso acontecer ainda ponderei bastante se o ia fazer ou não. É que quando olhei para o telemóvel para ver qual a temperatura que estava dizia -13º C!

E sabem como nos dias de primavera ou verão está uma certa temperatura mas que com os factores envolvente (humidade, vento, etc) a temperatura que nós sentimos é maior ou menor? Pois bem, segundo os dados da metereologia aqui, devido à neve que caía e ao vento que se fazia sentir (50 km/h) a temperatura que iríamos sentir seria semelhante a -27 ºC!!!

Ora sabendo o que me esperava tinha de me vestir apropriadamente para ver se não ficava congelado a meio do percurso.

A vestimenta que tenho para este tempo é constituída por uma camisola interior térmica (utilizada em desportos de neve) que comprei em França por estar em promoção. As minhas velhinhas calças térmicas que já fizeram centenas de kms a acompanhar-me. Depois outro par de calças, mas estas eram impermeáveis para ver se ajudava um pouco a cortar o vento. Além disso mais uma camisola grossa de corrida e por fim o impermeável que vai sempre comigo quando esteja o mínimo de frio.
Além disso ainda meto 2 pares de luvas e a lanterna para poder ver onde ando.

A semana passada chegou-me o meu último acessório: uma balaclava. A ideia é boa: proteger a cara e deixar apenas espaço para os olhos mas para mim durou 5 minutos. Isto porque assim que comecei a correr estava quase a desmaiar devido à falta de oxigénio. Posto, isto tive de tirar a balaclava e correr sem nada na cabeça.

A balaclava. Sempre fica para se usar na rua já que não posso usá-la nos treinos.
Um pequeno aparte: parece que anda tudo maluco com as 50 sombras de Grey. Se conhecerem alguém que goste do género e que goste de correr ofereçam-lhe uma balaclava e digam para ir correr 10 minutos para a rua. Imagino que algo do género de auto-asfixia erótica é capaz de acontecer durante o treino. Fica a sugestão... :)

Ora, depois de ter saído de casa, ter começado a correr e ao fim de 5 minutos ter tirado a balaclava até nem me sentia muito mal. O problema foi quando desci para o parque onde costumo fazer uma volta pequena. Mas acabei a descida tinha neve pelos tornozelos, mas teimoso como sou decidi fazer o restante km a pensar que se calhar aquilo melhorava lá para a frente. Na verdade melhorou quando saí do parque mas só a parte da neve, porque quando fiz o retorno para regressar ao ponto de partida apanhei com o vento tudo de frente e com a neve toda a bater-me na cara.

Nessa altura pensei que me fossem cair as orelhas porque estas já me estavam a arder do frio e foi assim com aquele vento todo e eu a esforçar-me ao máximo para que os 2 km naquele segmento acabassem que tive de me meter em modo sofrimento para passar nessa zona. Note-te que quando digo que me ia a esforçar ao máximo estava  a fazer ritmos de 5:00 ou 5:20 ao km. Só para terem uma ideia do giro que foi.

Assim que passei essa parte e deixei de sentir o vento de frente foi carregar no pedal até casa. Novamente carregar no pedal implica ir um pouco abaixo dos 5:00 ao km porque com tanta neve fico a fazer uma espécie de treino em areia.

No treino da tarde estava planeado fazer 10 rampas de 100 metros e a zona que eu escolhi para as fazer distava cerca de 20 minutos a correr. O vento e o frio continuaram o dia todo (-13 ºC de temperatura e sensação de -27 ºC), o problema agora é que a neve caía ainda com mais intensidade e muito mais pequena. Quando uma pessoa vê isso nos filmes até pensa que é giro, agora quando é para ir treinar/trabalhar ou algo do género já não fica com essa ideia.

Após chegar a meio do percurso fui obrigado a voltar para trás. Além de não conseguir ver um metro à minha frente o vento era tanto que parecia que estava a andar e não a correr. Mal me virei para lado oposto foi desatar a correr sem esforço por causa do vento que me empurrava. Acabei por fazer as rampas noutro sítio sem bem que na modalidade de esqui alpino pois eram rampas + neve + frio tudo ao mesmo tempo.

Outro problema crítico é além da neve é o gelo que se encontra na estrada. Por esse motivo os treinos de corrida contínua têm sido um problema porque a maior parte do tempo estou a tentar manter o equilíbrio, daí que não dê para fazer os ritmos inicialmente previstos.

Na quinta era dia de treino intervalo em pista, ou pelo menos era isso que eu esperava. Assim que saí de casa para aquecer fui directo à pista ver como estava. Mas haver pista era mentira, uma camada de neve com mais de 20 cm tapava-a completamente e nem um vislumbre das marcações. Resultado: treino intervalo feito na passadeira do ginásio. Claramente que não é o mesmo, mas tem de servir para remediar.

À tarde as estradas já estavam um pouco mais limpas e depois para fazer um treino ligeiro de corrida antes de ir fazer trabalho de pliometria.

Outra coisa que agora me tem acontecia é acabar os treinos com a cara gelo com barba, pestanas incluída. Tentei tirar uma foto a mim próprio mas o tempo de chegar ao telemóvel faz com que o gelo derreta. Fica uma foto que é bastante semelhante.

Não sou eu, mas garanto que quando acabo de treino estou igual! :)
E pronto fica aqui um gostinho sobre como é treinar nesta temperaturas negativas. Em princípio as temperaturas irão subir um pouco (para -2/-3 ºC) e o neve deve derreter, pelo que será para aproveitar para fazer treinos a ritmos mais alto, enquanto o inverno não chega de modo definitivo.

E mais um pequeno aparte que não tem nada a haver com isto, mas que ajuda a pôr as coisas em perspectiva: percam, ou melhor ganhem 12 minutos a ver este pequeno documentário. É por estas coisas que se percebe que queixar porque está demasiado frio ou chuva é algo menor quando comparado com outras coisas. Vale tanto a pena ver.



Até ao próximo post, bons treinos e melhores corridas.

João

17 comentários:

  1. Caramba nunca mais digo que está frio quando for correr!
    Vou dar grande destaque a este texto no UK.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  2. Belo texto João! É por estas e por outras que eu não entendo quem diz que não corre porque está a chover ou está frio. O que tu passas diariamente, isso sim é dureza!

    Incrível como tu dizes que -2/-3 ºC vai-te fazer diferença no treino!

    Um abraço!

    PS: O vídeo está qualquer coisa de tocante mesmo. Excelente, só não motiva quem não tiver sentimentos! Obrigado pela partilha!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade Vitor. Tem dias em que é uma tortura fazer ritmos decentes.

      Este sábado a fazer séries estava a fazer ritmos perto dos 3:50/km e acabei completamente de rastos tal era o vento que se sentia.

      Ao menos hoje já deu para vestir calções (logo a temperatura já não é tão má ahah) e fazer um treino longo decente.

      O vídeo é forte mesmo.

      Abraço.

      Eliminar
  3. Para a neve aconselho as sapatilhas da marca Icebug, marca sueca. Eles sabem o que fazem... ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Sílvio.
      O problema é que eles aqui têm sérias restrições às importações e só algumas marcas (as mais conhecidas) é que estão disponíveis.

      Abraço

      Eliminar
  4. Puxa João, nem sequer imagino o que seja treinar nessas condições

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só custa até chegar ao fim do treino Sérgio ahah ;)

      Abraço

      Eliminar
  5. Compreendi cada palavra...viajo muito pela europa e no inverno já me tenho aventurado em alguns treinos nessas condições, embora a -13ºC acho que nunca corri....um bom equipamento adequado ajuda (sem ele, é a morte do artista)...frio e vento então...essa de te cair as orelhas tb já senti :) ...e o ar gelado que congela os pulmões?? ...mas pronto, é assim e tem que se viver com isso...ainda não vi o vídeo, tenho que ver com calma.
    Aquele abraço

    ResponderEliminar
  6. Por acaso o ar gelado que congela os pulmões só senti mesmo quando estive na Alemanha no pico do inverno. Aí sim, fazer séries era uma tortura.
    Até acho estranho porque lembro-me que nessa altura estava -10 ºC e aqui tem estado bem mais baixo.

    Grande abraço.

    ResponderEliminar
  7. Voltei para ver o filme com tempo e ainda bem...que historia mais espectacular e emocionante...obrigado pela partilha.

    ResponderEliminar
  8. Que condições para treinar, que força de vontade de campeão! Parabéns!

    Quanto ao video... acabei de o ver agora, por isso compreendes que ainda nem o consiga comentar! :)

    Um abraço e muita força!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado João! Quando uma pessoa quer lá tem de ser :)

      O video, realmente puxa ao sentimento ;)

      Abraço

      Eliminar
  9. Que fique aqui registado para toda a gente ver: nunca mais me queixo do frio e chuva!

    ResponderEliminar
  10. Quando chegares vais saber o que é treinar às seis da matina na Beloura com chuva.
    Beijoca

    ResponderEliminar